Como levar um cão no porão e na cabine dum avião.

No Domingo à noite o aeroporto Sá Carneiro estava o verdadeiro caos. Por causa do mau tempo os voos estavam todos atrasados, o meu que devia sair às 19:40 saiu às 21:00, as pessoas que iam pra Paris-Orly viram o voo atrasado duas horas e ainda por cima mudaram-lhes o vôo de Paris-Orly pra Charles de Gaulle às 9 da noite. O vôo das 15 pra Geneve às 18 ainda não tinha saído. A Transavia estava um caco por causa do mau tempo.

No meio disto vi e ajudei duas pessoas que estavam com os cães também, em caixa, e os bichos estavam histéricos, assustadíssimos, escavavam a caixa, aterrorizados, e nem sequer tinham entrado no avião! Eu tinha uma caixa de vetranquil porque o veterinário deles já estava fechado quando me lembrei dos comprimidos e fui à farmácia no sábado às dez da noite fazer um choradinho e venderam-me uma caixa de vetranquil. Tinha 10 comprimidos e precisava de um e meio, por isso olhem, dei numa de Cesar Millan de trazer por casa e fui ter com os donos, perguntei-lhes se queriam calmantes pros bichos e toca de cortar o medicamento com os dentes à falta de melhor…fiquem com a língua adormecida praí umas 5 horas! O certo é que sei que salvei os bichos dum trauma irreparável e os donos ficaram muito mais tranquilos. O senhor até me disse que eu era um anjo caído do céu! lol
Eu gosto de ajudar e a mim custou-me um euro e meio ajudá-los, que más dá? Não me custou nada, foi com muito gosto que ajudei.
É que nós sofremos com eles, as pessoas não têm noção do camadão de nervos que cães e donos apanham quando as coisas estão fora de controlo e eles ganem e uivam, e choram e se esfrangalham todos dentro duma caixa.
Por isso, e porque acho que há pouca informação, vou escrever o que é preciso fazer pra poderem viajar com os vossos bichinhos serenos e seguros e agradeço que partilhem a informação abaixo com quem quiserem e acharem que precisa.
Antes de começar, eu vou recomendar um comprimido que foi receitado pelo veterinários dos meus cães em Braga que tem mais de 25 anos de experiência. Tal como ele próprio diria, este comprimido tem que ser muito bem doseado senão o animal pode entrar em hipotermia. Só com um quarto de comprimido eles já ficam com os olhinhos como se tivessem fumado um charro. Se no stress lhe derem mais que a conta, o bicho deixa de se mexer dentro da caixa e pode entrar em estado de hipotermia porque não se aquece a ele mesmo. Se acertarem na dose certa, é completamente seguro. Os meus vão e vêm 3 vezes ao ano. A Petzi vai comigo na cabine e nem sequer toma nada, está habituada desde os 3 meses, pra ela é tranquilíssimo porque está com a dona. Mas no porão é diferente.

ANTES DE VIAJAR:

Odeio enfiá-los no porão e na caixa, parecem tão miseráveis. Estavam completamente drogados como se vê na foto.

1. Ponham uma manta dentro da caixa no fundo da dita. Tirem a grade da frente e em casa, nos 3 ou 4 dias antes da viagem, 3 vezes ao dia, ponham biscoitos ou guloseimas de que eles gostem muito dentro da caixa, pra eles gostarem de estar lá dentro. Não os fechem, ponham só lá os biscoitos e convidem-nos a entrar e sair.

2. No dia da viagem ponham uns biscoitos de roer, um kong com biscoitos, um osso seco, algo que eles possam mastigar sem terem necessidade de ir à casa de banho e que lhes esgote os nervos durante a viagem.

3. A Petzi vai comigo na cabine e vai na mochila que vêem na foto e que é própria pra cães. Também há umas malas flexíveis muito simpáticas pros bichinhos que vão na cabine. As dimensões das malas estão nos sites das companhias aéreas. Se vivem na Holanda podem comprar umas por um preço jeitoso no XPET.nl, por exemplo. Se vivem em Portugal, procurem online porque nas lojas de animais normalmente é caríssimo. Ela não sai da mochila, mas já a Juicy não gosta da mesma. O truque é o mesmo, biscoitos lá pra dentro e não ceder aos olhinhos murchos a pedir pra sair.

4. IMPORTANTE- Quando compram o bilhete de avião, têm que reservar o lugar pro animal, por isso têm que ligar SEMPRE pra companhia aérea pra lhes perguntar se há lugar na cabine ou no porão pros vossos animais e esperar que vos confirmem. Na cabine só podem ir dois animais e no porão também há uma quota, não sei se são 4. Mas há que reservar o lugar deles, senão podem chegar ao aeroporto e ter uma surpresa desagradável. Na cabine podem ir animais até 10 kilos (cão mais mala) na Transavia, até 7 kilos (cão mais mala) na TAP.

5. Na Transavia cada trajecto custa:
– 60 euros cada caixa no porão (só podem ir 2 cães na caixa se forem mãe e filhos)
– 40 euros pelo animal de cabine.

Na TAP, cada trajecto custa:
– 100 euros cada caixa no porão
– 70 euros pelo animal de cabine.

Ida e volta Holanda-Portugal, sai-me por 200 euros na Transavia e por 340 na TAP. Nunca faço viagens com eles por menos de 6 dias úteis, é pouco tempo pros bichos recuperarem dos comprimidos e do stress do avião. Ficam com a treinadora onde pago 15 euros por dia por cada um.

Pois, isto de ter animais sai caro 🙂 Mas são paixões, e se eu não discuto com quem dá mil euros pra vir ver o Benfica, também não admito que me digam que eu não as bato todas por andar com os cães pra frente e pra trás e ter esta responsabilidade e estes custos.

6. Não lhes dêem de beber 8 horas antes da viagem, e de comer 12 horas antes da viagem.

NO DIA DA VIAGEM E DURANTE A VIAGEM:

1. Os calmantes. Eu dou-lhes o vetranquil.

Quem vive na Holanda pode comprá-lo através deste site: http://www.medpets.nl/vetranquil/?s2m_channel=70&gclid=CK3t–aF7LsCFYZd3godUjAAsQ
Quem vive em Portugal pode comprá-lo na farmácia, também online, por exemplo na Sá da Bandeira: http://www.sadabandeira.com/vetranquil-comp-25-mg-x-10.html
Os veterinários na Holanda são contra e vão tentar engrupir-vos com uma porcaria cujo composto activo é o alprazolam. Esqueçam, não funciona. E os Holandeses fazem um bicho de 7 cabeças, que mesmo este é muito perigoso e mimimi. Pardon my french, caguem pra eles. Comprem o que vos digo online. O Bitoque tomou 3 comprimidos de alprazolam e eu ouvi-o a gritar, ganir, ladrar à entrada pro avião, e quando o avião levantou vôo, com turbinas e tudo, eu ouvia os bichos na cabine. Foi um horror, cheio ao Porto com o coração na boca, e se apanho a cabra da veterinária holandesa naquele momento, acho que lhe enfiava a tromba numa parede. Nunca tal me tinha acontecido.
Por isso esqueçam o que o vet Holandês vos disser, sigam o meu vet Português e façam uma opção descansada com o vetranquil.

2. Como dar os calmantes:

Dou 3 quartos ao Bitoque e meio à Juicy.
Já agora ficam a saber como é que se faz:
– máximo de 1 comprimido para 10 kilos de peso de cão.
– dou um quarto de comprimido meia hora antes de chegar ao aeroporto, normalmente antes de sair de casa, aos dois, enfiado no meio dum biscoito pra cão.
– dou mais um quarto ao Bitoque (ele tem 10 kilos e a Juicy 7) quando chego à fila do check-in do aeroporto e enquanto esperamos.
– quando os vou passar na segurança, depois dos senhores revistarem a caixa, quando voltam pra dentro da caixa dou-lhes mais um quarto de comprimido a cada um.

Logo, no total o Bitoque toma 3 quartos, e a Juicy meio.

A Petzi viaja desde os 3 meses comigo e por isso não precisa de calmante já que vai aos meus pés. Mas se ela estivesse muito stressada, como tem 6 kilos, dar-lhe-ia um quarto de comprimido à saída de casa, e se visse que ela continuava muito agitada (duvido, estes comprimidos são bastante fortes), dava-lhe mais meio quando estivéssemos a entrar pro avião.

3. O efeito dos comprimidos dura 12 horas. Nunca os submeti a uma viagem superior a três horas de vôo.

4. Os animais depois do vôo são entregues nas bagagens sem formato, no aeroporto de Schiphol, subam as escadinhas ao lado das bagagens sem formato e esperem junto ao elevador que está mesmo em frente. É vergonhoso, mas em Amesterdão chegam a levar 45 minutos a entregar os cães, fico passada. No Porto os animais aparecem também nas bagagens sem formato, antes mesmo de sairem as nossas malas no tapete, é muito rápido.

5. Não cedam à tentação e não os tirem da caixa antes de saírem do aeroporto senão ainda há algum xixi ou cócó inconveniente, já me aconteceu, e não teve graça nenhuma. Tenham uma tijela preparada e água pra lhes dar quando os tirarem da caixa, deixem-nos fazer a necessidade mesmo ali ao lado, e voilá, cães sãos e salvos e tranquilos, e uma viagem descansada pra todos!

BOA SORTE!! Espero ter ajudado mais boas almas e que na próxima viagem não precise de andar a distribuir mais vetranquil pelos meus amigos de 4 patinhas 🙂

22 comments:

  1. São conselhos muito úteis. No meu caso, como também ando à procura de trabalho no estrangeiro, é algo com que me preocupo e, por isso, já tenho andado a ler sobre o assunto. E, por aquilo que li, as companhias aéreas têm regras bastante rígidas em relação às caixas de transporte: têm que ter lá dentro um resguardo absorvente por causa dos xixis, têm que ter água para a viagem e o bicho tem que caber sentado dentro da caixa…
    Mas essa dos calmantes é uma óptima dica! Um cão stressado é uma chatice.

  2. As companinhas aéreas têm mta treta, mas depois nao se pode ter metade ou não faz sentido, pq têm uma regra pra tudo, nao fazem consoante o trajecto.
    A não ser que vás viajar pros EUA e aí deve haver o resguardo pro xixi, mas pra uma viagem dentro da Europa, pra cão (gatos confesso que não faço ideia), não é preciso nada disso. E também nunca pus água pra viagem deles, acho que só se for em vôos muito longos, mas eu era incapaz de levar os meus animais no porão mais do que estas 3 horas ou 4, acho que nunca mais de 6 horas e tem que ser em vôo directo, senão não levo. Ou não mudo de País.
    O bicho tem que ser capaz de dar a volta dentro da caixa, e tem que se poder por de pé, mas não de ir sentado. Os meus vão deitados e cabem de pé, mas não se sentam.
    Um cão stressado é mais que uma chatice, é um trauma pra ambos. O Bitoque nem podia ver a caixa nos dias a seguir ao tal vôo em que tomou o alprozolam, coitado do bicho.
    Se fores pra fora, não tenhas dúvidas: calmantes. Estes tb dão pra gatos, vê na bula.

  3. Ia mesmo perguntar se dava para gatos porque sou completamente fã de "drunfs". Isto dito assim pode parecer muito mau, mas se não fossem os comprimidos acho que o meu gato já tinha morrido (ou ele ou eu). E agora que está a chegar a hora de o levar ao vet para ir à faca e para levar umas vacinas estamos cheios de medo (e a adiar, adiar) porque acho que vai ser mais um trauma. E ele ainda não está preparado para isso. Pô-lo na caixa vai ser relativamente fácil da primeira vez… o problema vai ser tirá-lo lá no consultório. No outro dia tive uma visita cá em casa e o bicho quase enlouqueceu. Tenho que admitir, tenho o gato mais medricas que existe neste país.

  4. Patrícia, para resolver os problemas de ansiedade do seu gatinho em casa recomendo um difusor de feromonas tipo Feliway – Pode encontrar na Amazon.com. É um difusor eléctrico que emite feromonas de gatos e que os deixa muito mais tranquilos.

  5. Olá Anita,
    Obrigada pela sugestão. O ZéGato em casa já não tem problemas, nem ansiedade e cada dia tem menos medo. O meu medo agora é nas saídas, que sei que a mudança não vai ser fácil para o meu bicho. Neste Caso o Feliway não ajuda. Na verdade já tenho Feliway cá em casa. Nos tempos maus chegámos a comprar e fez pouca diferença. Mas acredito que ajude em muitos casos. O meu foi mesmo um caso extremo, como eu nunca tinha visto, de pânico total. E a solução foi mesmo acalmar o bicho à força, via calmantes, e depois armar-me de paciência e muito amor. Muita paciência mesmo. Os dias em que ele olhava para mim sem bufar eram bons dias. Mas agora tenho um gato maravilhoso e doce (neste exacto momento está atrás do computador e pedinchar biscoitos e manda um "miau" para vocês)

  6. Eh pa, não sei, não conheço o cão, tens que perguntar ao médico se ele não tem problemas de coração e se pode tomar o vetranquil.
    Se o vôo for directo, sim, sem ser voos directos não faças isso.
    Também depende se for um cão pequeno ou grande, se for um cão pequeno, aos 14 anos ainda está óptimo, e pode ir aos teus pés, e aguenta perfeitamente SP – NY. Se for um cão grande, 14 anos já é uma idade puxada, eu só levava o bicho se não tivesse opção, por exemplo, se não o puderes deixar com os teus pais. Ele aguentar aguenta, o aviao nao balança, o bicho com o vet tranquil vai a dormir, tens mesmo é de ver com o veterinário…
    Se for cão de colo, pequenino, aí nem duvides, leva contigo.

  7. Olá 🙂

    O meu nome é Ana e sou uma "alfacita" que se mudou para Amesterdão há 2 meses. Estou a gostar imenso de ler o teu blog e também não sou nada de dizer que se aguenta este escuro daqui! A razão porque tombei no teu blog é que tenho 2 amores, a Mel e o Lee, que vão juntar-se (finalmente) a mim em breve. Só agora consegui arranjar casa e mal posso esperar para os ter comigo. Como és uma apaixonada por cães e pelos teus cães percebes que é importante ter uma petsitter de confiança 🙂 Encontrei um nome no teu blog (Ana Luísa V. Martins). É a pessoa a quem recorres?
    Quanto aos medicamentos também me são muito úteis as tuas dicas! Existe uma grande dicotomia à volta de dar ou não dar por causa da temperatura dos cães baixar mas eu quero tudo menos que eles sofram. Só de os imaginar no porão fico logo stressada quanto mais se forem o pior possível.
    Bom 2015! E obrigado pela ajuda!

  8. Olá Ana, eu recorria a duas senhoras que eram treinadoras, uma em Amesterdão, a outra em Blockzijl e gostava mesmo muito de ambas.
    A Linda: +31 621 82 79 71
    A Anneke da Big Hug Services: +31 651 09 74 24

  9. Muito obrigada pelos seus conselhos. Eu tenho 2 gatos e vou viajar. O Vet deu-me vetranquil, meio comprimido para cada gato. Deu um a mais para experimentar o efeito que fazia neles. Entrei em pânico, pois nunca lhes de calmantes e andavam aos zigzagues.. Depois de muita resistencia dormiram os 2. A minha gata passado umas horas só miava miava e tentava morder-me.. Acho que eu também deveria ter tomado meio comprimido ahahahha é que fiquei sem saber o que fazer à minha vida. O veterinário acabou por me tranquilizar bastante.

  10. Que bom Lina, espero que tenha corrido tudo bem. E acho que os donos tb devem tomar uma pastilha sim, os animais ficam nervosos caso o dono ou a dona estejam nervosos também :))

  11. Olá ! Adorei ler o seu texto 🙂
    Eu ando a tentar adoptar um cachorrinho de raça do qual eu sou completamente apaixonada, mas que são inexistentes em Portugal (e os criadores pedem por volta dos 1200€), que são os Corgi Pembroke e por isso mesmo gostaria mandar vir um cachorrinho dessa raça pelos Estados Unidos já que eu tenho uma colega que tem família lá e todos os Verões ela vai lá passar férias e depois volta para Portugal, achei que seria uma excelente oportunidade.
    Agora eu andei em vários sites para tentar perceber como se procede, os custos, o que é preciso e isso, mas não encontro nada, ao ler o seu texto deu para perceber algumas coisas, mas não vai completamente de encontro às minhas dúvidas… Se souber explicar-me ou conhece um site ou alguém que já o fez, por favor diga-me alguma coisa 🙂
    Obrigada e tudo de bom para si e para os seus cachorrinhos!

  12. Vânia, olhe que não sei se lhe fica mais barato nos EUA, faça as contas comigo.
    O meu melhor amigo tb quer um destes, e recomendei-lhe que o fosse buscar a Inglaterra, e explico-lhe porquê: pro cão viajar tem que ter 3 meses pq tem de ter as vacinas todas, inclusive a da raiva, e essa, se não estou em erro, só é dada aos 3 meses. Ou seja, compra-o no criador aos 2 meses e pouco, e tem de a sua amiga cuidar dele os primeiros 15 dias a 3 semanas, e só depois é que o pode trazer. Isto garanto-lhe eu porque trouxe 4 nestes moldes da holanda, e até terem a vacina da raiva, a não ser que viagem com a mãe dos cachorros, os cães não podem voar.
    O cão tem de ter vacinas e passaporte, e o vôo da sua amiga tem que ter uma reserva pra cão na cabine, pq só podem vir 2 ou 3 cães por cabine. Isso também é pago.
    Se somar o valor do passaporte (custa à volta de 150€, nao sei qtos dólares nem se pode emitir um passaporte sem ter residência permanente nos EUA), com o das vacinas (e nos EUA sao mais caras que em PT e são ao todo 2 tranches de vacinas que cá custam à volta de 200€, nos EUA imagine…), com o vôo do cão que não sei qto custa pra um avião de longo curso, mas que na TAP, em médio curso, é de 70 euros o percurso…faça as contas.
    Por último, e não tenho a certeza, ele tem de ser comprado em nome da sua amiga pro poder transportar com o passaporte tb em nome dela, e uma vez cá tem de lhe pôr outro chip pq o dos EUA não funciona em Portugal. Vai ter de comprar outro chip, e pagá-lo.
    O meu conselho, honestamente, é que não se meta em tantos trabalhos, até pq o primeiro mês do cão pro treinar em xixis e cócós…. vai doer à sua amiga, nao sei se ela tem cães e sabe o quanto custa, mas o mais importante, é que no fim vai-lhe sair pelo mesmo preço.
    Os meus comprei-os no que se chama um puppy mill e se arrependimento matasse estava aqui estendida. Amo os meus cães, e tive sorte que eles são saudáveis, mas comprar animais numa loja pra cachorros quer dizer que a mãe da Petzi e a mãe do Kruk tiveram grávidas consecutivamente, non-stop, numa crueldade para com estes animais atroz.
    Se fosse hoje tinha tido mais paciência e adoptado um dum canil que fosse como estes, há tantos abandonados.
    Quanto aos Corgi, tente Inglaterra (é o cão da rainha de Inglaterra, pode ser que encontre) ou Bélgica ou Holanda, mas vai sempre ter de os ir buscar.
    Não se pode meter (e ainda bem!) um cão connosco no avião sem se ter tanta papelada como a nossa, e com a garantia não só de que são saudáveis, como de que são efectivamente NOSSOS.
    Boa sorte!

  13. Estou procurando uma oportunidade de trabalho em amsterdam, moro no Rio. Será que o medicamento vetranquil vai suportar as 11h de voo? meu cachorrinho pesa 6,5 k..

    1. Olá, suporta 11 horas, e com 6,5 kg podes levá-lo contigo na cabine, depende da transportadora aérea. A KLM deixa voar com caes até 7 kilos. Se ele for aos seus pés, não precisa sequer de vet tranquil!!! Veja a transportadora e mude de avião se possível.
      Se não puder, sendo ele tão pequeno, não dava mais de um quarto de comprimido, e deve durar umas boas 8 a 12 horas.

  14. Adorei o conselho mas é melhor deixar o nosso amo d 4 patas dum bom hotel do que o sujeitar a tais circunstancias tenho uma arralada de pastor linda de morrer e super meiga, tem 3 aninhos e 19kg tem rudo para poder voar, mas realmente depois do que li aqui nem pensar se tudo corresse bem, mas nem sempre isso acontece e como certamente tendo em conta o seu peso ficaria sabe se lá aonde num porão, ainda há pouco tempo um piloto de uma nave apercebeu se que estava um cachorro no porão em dificuldades desviou o avião de rota para o salvar
    Eles ficam muito stressados com grandes viagens e mesmo com a atmosfera, vale mais pagar e deixa los em locais próprios para não lhes causar danos psicológicos
    E eu amo demais a minha mas prefiro ter saudade e saber que ela esta bem o que obriga la a fazer uma viagem desconfortável para ela

    muito obrigada pela dica e ainda mais fica mais barato ter um hotel para eles do que pagar a viagem

    marisa gomes de portugal

    1. Dependendo do peso do animal e se vamos de férias ou se mudamos de casa/País. Este post é pra ajudar as pessoas quando precisam de tomar uma decisão e saber quais as vantagens e desvantagens. A decisão nunca é minha mas vossa 🙂

  15. minha cachorra tem problema de tiroide e as vezes tem umas crises respiratorias. ela conseguiria fazer uma viagem de rio de janeiro a porto? terei acesso ao porao do aviao?

    1. Boas, não tem acesso ao porao do aviao de modo algum, uma vez no porão não a vê até receber as bagagens.
      Não sou veterinária, não a posso aconselhar, deve falar com o seu veterinário para avaliar se a cachorra consegue fazer a viagem em segurança.

Deixar uma resposta