É bom viver no presente

Eu sou grande fã da Caderneta de Cromos, mas acho que as pessoas cultivam demasiado o passado e vivem pouco o presente.
Quisás e assaz o presente delas é tão aborrecido que têm que se relembrar continuamente do que sentiram e das coisas com que se emocionaram. É que isso que as faz reviver os melhores momentos e esquecer os actuais tão cinzentos.
Sabem a música “oh tempo, volta pra trás!”? Não a cantem. Deixem o tempo andar pra frente!
Eu sei que quando o tempo move e avança a vida também o faz, não só a nossa mas também a dos outros e à medida que o tempo vai passando vamos perdendo peças importantes das nossas vidas como os nossos Pais ou Avós, Tios e Amigos, e é duro viver sem a voz, alma e presença deles. Mas faz parte do que se chama viver: encontrar pessoas pelo caminho que nos fazem ser maiores, ser mais fortes, voar mais alto, moldam quem somos, fazem-nos rir e chorar, amá-las, perdê-las. É mesmo assim.
Não é por nos lembrarmos juntamente com mais trezentas mil pessoas que existiu uma bota Botilde que o nosso sentimento de identidade aumenta ou que recuperamos tempos que julgamos mais felizes.
Temos que mudar minha gente, temos que achar que as mudanças trazem coisas boas e não chatices. Há que deixar de ser sedentário e cor papel pardo e de nos lamentarmos que a vida é triste e madrasta. Nós é que a pintamos dessa cor! Tomem decisões, mudem! Mudem a disposição dos móveis da sala ou do quarto, mudem de casa, de cidade, de País, saiam desse casamento que vos faz infelizes e não tenham medo de voar! Os vossos filhos serão tão mais felizes quanto o tamanho da vossa felicidade.
Arrisquem minha gente, quem não arrisca não petisca!
Façam algo novo todos os dias, nem que seja um caminho diferente pro emprego ou ouvirem outra estação de rádio.
Larguem o “método”, este não vos dá controlo, só vos dá a sensação que estão a controlar mas no fundo não controlam pevas, por isso deixem-se de tretas e comprem um bilhete de avião e partam à descoberta doutros mundos.
Vejam sempre o lado bom das coisas na maior das desgraças, eu até ajudo:
– se está alguém doente, pensem no quanto isso une a vossa família ou os amigos;
– se morreu uma pessoa próxima, pensem que se estivesse viva iria ter uma morte mais horrível.
– se bateram com o carro e não conseguem suportar a conta do arranjo, contratem um seguro e submetam a batidela ao seguro daqui a 3 meses. Mandem-se pros transportes e pensem na quantidade de livros que vão poder ler nos próximos tempos e quisás conhecer alguém que vos vai transmitir algo importante.
– se vos roubaram a mala com os documentos e o telemóvel pensem que perderam os contactos de todos os gajos chatos com quem não queriam sair e que é uma óptima oportunidade pra mudarem de número e comprarem um iphone bloqueado. Eu cá dou benza a Deus ao Senhor Ladrão que me palmou as coisas em Bali. Se não fosse ele estaria numa alhada bem grande neste momento!
– se perderam o emprego arregacem as mangas, façam umas continhas de somar, vejam quantos vos sobra e mandam curriculuns. Ninguém vos responde? Não tem problema, peguem nas malinhas e zarpem pra um País onde viva alguém muito muito próximo e lavem escadas, sirvam em cafés e aprendam novas línguas e conheçam novos amores.

Pela vossa rica saúde, agradeçam até as desgraças, agradeçam todas as bençãos e alegrias, vivam “a sério” e façam-no todos os dias: façam uma coisa que nunca tenham feito por dia, façam o que está no lema que publiquei ontem; E não tenham medo das rugas e dos cabelos brancos, são sinal de sabedoria e de estamos a aproveitar pra rir e chorar, sentir, amar, correr e concretizar.

Deixem o Nuno Markl fazer outra coisa, ele tem tanta criatividade e futuro pela frente, porque raio tem ele de estar a alimentar o vosso saudosismo e cinzentismo?

A Caderneta de Cromos acabou hoje e fico muito contente pelo Nuno. A ele o meu sentido obrigada por ser O Cromo. A rubrica dele ajudou-me a superar momentos muito complicados e vai ficar no meu coração tal como as gargalhadas que vou dar no seu futuro projecto. O maravilhoso do Markl é que ser parvo está-lhe na alma, não numa rubrica. É com isso que ele faz magia.

7 comments:

  1. Mais uma vez tens toda a razão! Parece que já passaste por este mundo e lá ficou muito ensinamento para pôr em prática noutra vida (nada a ver com teorias de reencarnações…)É por isso que eu acho que não "idade para", há o ir buscar vontade e determinação para levar a cabo um sonho, um propósito, uma ideia. Olha, há 8 dias calhou-me ter vontade de ir ver Tony Carreira ao vivo e a cores, para possível esgar de horror dos seres cultos que me conhecem. E não correu nada mal, só é pena terem comparecido poucas senhoras das que povoam as digressões do Tony e que eu adorava ter visto a manifestarem-se pelo seu ídolo! Aguardam-se novos e bons incentivos ao povo!

  2. Que texto inspirador e otimista!
    Também gosto muito de dar colorido à vida. Às vezes basta-me regressar a casa por um caminho diferente, como diz.
    E apreciar as festas e lambidelas do meu cão. E deitar fora tralha. E rasgar papéis. E simular percursos de viagens a realizar. E olhar para os meus filhos e orgulhar-me do seu pensamento independente.

  3. Mariana: Tony Carreira = adooooro! Acho o homem um Senhor e sempre quis ir ver um concerto dele, mas tá sempre tudo esgotado! Adorava ver as fãs: toooooooooooooooooooooniiiiiiiii!!
    Continua a fazer coisas novas todos os dias! Eu ontem fiz brownies! Nunca tinha feito :)) Muitos beijinhos!

  4. É isso mesmo! Eu ontem também reorganizei a minha arrecadação e como disse ali à Mariana fiz brownies pela primeira vez, logo eu que costumo ser um desastre pra bolos. Mas estão bem bons!!

  5. Beijinhos um pouco húmidos para ti, agora que correste mais do voaste…E têm emoção não só pela causa que promoveu mais esta tua participação em feitos solidários mas porque a minha filha sempre se chamou Kika, até mesmo antes de nascer…És linda, Sofia!

  6. oh andorinha, tu escreve para um jornal que seja lido por este país! cada vez gosto mais de ti e conheci-te ontem! subscrevo cada palavra do que disseste e ainda há mais, quando o nosso PM sugeriu que a malta inovasse e pensasse noutras estratégias quando ficasse desempregado, eu até pensei cá para mim "ora aí está um pensamento em condições, alguém que diga a este país para parar de se lamuriar e façam é alguma coisa!", mas depois percebi que há pessoas para dizer isto e a ele não lhe fica muito bem. parecendo que não, mas ele anda a desgovernar-nos e a deixar-nos mais pobretanas. e daqui a pouco não há inovação que nos valha! mas a questão é que me arrepio por dentro cada vez que ouço um "então tudo bem? olha vai-se andando…" com um arrastar de voz como se alguém tivesse morrido ou se comer um pastel de nata fosse um luxo de tão pobre que se é. na sua grande parte as pessoas até têm um vidinha bem boa, pode não ser de luxo mas há que apreciar coisas simples. mas não, devem querer todos morar na lapa num t4 duplex com vista para o rio, e o jaguar na garagem. irra!

Responder a twiggs Cancelar resposta