A culpa não é deles….

… é nossa!

Qual de nós o melhor…

Na minha casa a boa-disposição reinou sempre, graças a Deus. Mas o Kruk e a Petzi tornaram-na infinitamente melhor. A alegria que transmitem e a paciência que têm para conosco é absolutamente contangiante!

(a ideia das bandoletes de rena foi do meu Pai que é pior que nós todos juntos)

O Kruk posa sempre pra foto e não se importa com massacre nenhum, sempre feliz este bichinho!

A Petzi desfila com cara de: porquê eu, Senhor? Porquê?!


Tou no ir! Isto não abona nada a minha imagem! Bora Kruk, deixa-os aí!

Tens razão! Que se lixe os enfeites! Cornos é pra eles, agora eu! Tu não me trais pois não boneca?

Eu??? Nahhhhh! Ó Querido! Qual donzela à espera do seu Princípe no Cavalo Branco! (riso maléfico!)

Voltamos!

E depois de 3 semanitas de muito mimo e muito descanso, sô Dona Petzi Maria e Sofia voltam a terras holandesas onde hoje chove comó…… muito 🙂
A minha cadelinha voltou apaixonada, anda toda tristonha pelos cantos porque ficou sem o seu companheiro pra brincar. A tristeza da pobre é tão grande que não faz mais que dormir pra ver se o tempo passa mais depressa. Eu nem me dou ao luxo de ficar chateada com este tempo quando olho pra ela.
Quando finalmente tiver um tempinho volto pra colocar umas fotos das praias da nossa maravilhosa Costa Vicentina, eu prometo!
Mientras tanto fica a foto de família 😉

Portugal, aqui vou eu!!!

É assim que me sinto, exactamente como o Senhor da imagem, completamente radiante!
Vou ver os meus Pais,
Almoçar, jantar e beber copos com os meus queridos amigos,
Vou abraçar as minhas “sisters”,
Vou ficar torradinha do sol e com cores saudáveis,
Vou comer CARACÓIS e beber IMPERIAIS (finos pra malta do Norte),
Vou dar umas gargalhadas com os amigos na IBM Portugal (enquanto a semana de trabalho por lá voa),
Vou fazer Candeia,
Vou ser mimada,
Vou mimar-me,
Vou tratar de mim,
Dizer a quantidade de expressões que me caracterizam nesta minha língua nortenha e TODA a gente me vai entender! Vou poder contar piadas na minha língua!
Sentir e ouvir Fado,
Dançar,
Sair à noite,
Vou ao Evento do Partilhate,
Fazer ronha na cama até tarde,
Vou conduzir a mais de 120 km/hora!
Vou beber café decente,
Comer Pastéis de Belém,
Não ter horas p’ra nada,
Chegar atrasada sem ser crucificada,
Ver o Kruk e beijocar o meu outro “canito”,
DESCANSAR,
RELAXAR,
DESLIGAR,
(RE)VIVER.

Amigos, estou em Lisboa de 22 a 29 de Maio, Zambujeira e Aljezur de 30 de Maio a 13 de Junho.
Até já, prometo chegar inteirinha e bem rapidinho! Tou a caminho!

Portugal -5° feira 26 de Março – A ruas de Braga e a Brasileira

E eis que chego a Braga e depois do jantar o Kruk dá o seu primeiro passeio pela cidade.
Para meu grande espanto a cidade voltou a ser o que era. As ruas encheram-se de pessoas de todas as idades, que como no antigamente, vieram passear depois do jantar só para tomar um cafezinho e ver umas montras. Socializar e aproveitar a cidade tão bonita e cheia de ruas carregadinhas de lojas bonitas, cafés decorados com bom gosto, e jardins que têm vindo a crescer a olhos vistos. O Centro de Braga vai ser todo pedonal.
Com um simples casaco de malha, ou um blusão fininho pudemos passear, o bom tempo fazia tudo respirar a morna de verão.
O Kruk andou a passear todo pimpão e foi um autêntico êxito por todos os sítios onde passou. O meu Pai estava delirante!
Quando questionei o porquê da volta da vida social de “passeio”, responderam-me que, além das obras do túnel estarem avançadas e agora haver mais jardins, a Braasileira tinha reaberto!
A ASAE fechou a Brasileira há coisa de um ano atrás. Apesar de todos sabermos que precisava de obras, todos receavamos a mudança e que o charme e a tradição, que o traço tão particular antigo, desaparecesse.
O mesmo arquitecto que remodelou o Theatro do Circo, remodelou a Brasileira.
O resultado final, tal como no Theatro, está de tirar o fôlego ao mais incrédulo.
Mantiveram as mesas e as cadeiras antigas que foram todas restauradas. As paredes foram pintadas de branco e os novos candeeiros são modernos, mas totalmente enquadrados. Abriram mais um andar onde existem agora mais duas salas, uma para albergar os fumadores, e outra separada que é mais salão de chá. Segundo o que entendi, o terceiro piso será no futuro um bar.
Consegui voltar a encontrar por lá os habitués de antigamente, o café de saco, a cevada, e até os empregados mais ranzinzas que nos atiram os sacos de açucar para cima da mesa como manda a tradição.
O Café Astória também foi remodelado, mas infelizmente antes desta reforma foi o Amo-te Braga que assassinou completamente o traço antigo do Astória.
Agora está mais moderno, mas recuperou algo do charme e recomendo vivamente o primeiro andar que é restaurante, e as duas esplanadas que apresentam um imenso bom gosto.
Só pude tirar fotos de dia da Brasileira, e como o telemóvel é fraquinho, vão ter mesmo de ir lá comprovar a riqueza das restaurações pelos vossos próprios olhos.



Sofia, Petzi e Kruk

Era suposto ter comprado uma cadelinha pro meu Pai, mas…como sou o cúmulo do despiste e confio nas pessoas, atendendo a que tinha dito ao Belga que me trouxesse só cadelas e jamais me passou pela cabeça que o gajo me trouxesse cães também…comprei um cão e andei convencidíssima durante dois dias que tinha uma Boneca…vai daí levei a dita ao Veterinário e qual não é o meu espanto quando a Vet me diz que tenho um CÃO muito bonito! Cão não, uma cadela…Oh no, it’s a he! Here is his little dick…..
E é assim que a família Castro é a portentosa detentora de uma cadela e um cão, respectivamente, uma Petzi e um Kruk!!
Cá estamos nós em Dusseldorf neste domingo pouco solarengo, mas muito animado.